NÃO É UM BICHO DE SETE CABEÇAS, SÓ TEM UMA!

sexta-feira, maio 08, 2015

Olá meninas e meninos,
Quando acolhi/adoptei o André as reacções foram de extremos, por um lado as pessoas que nos deram os parabéns e ficaram realmente contentes, e do outro pessoas que nos disseram “vocês são malucos!”, “mais um cão?”, “vocês já viram a despesa que dá?”, “olhem que é trabalho a dobrar!”, “mas ele não é doente?”, “deviam era ter um filho!” (esta é a clássica). Este post é um testemunho para o segundo grupo, para explicar a essas pessoas e até a quem pense como eles a realidade.

O André é de facto um animal com uma doença crónica (não confundam com doente), que lhe pode causar danos internos (fígado, rins), mas ele é um cão normal: come, dorme em cima da cama dos donos, salta, ladra, cheira todas as árvores e postes da rua, convive com outros cães, dá e pede mimos. E a única coisa diferente de um cão sem esta condição é que toma medicação diária para manter a doença controlada, medicação esta que custa por mês aproximadamente 4€, e 3 vezes por ano toma outro medicamento que o preço ronda os 15€. 

Tenho por hábito dizer a toda a gente que o André tem leishmaniose, não porque queira que tenham “pena” dele, mas para que percebam que apesar de ser uma doença crónica (e quando não controlada pode matar), o André é um cão amoroso e que merece ter uma família e que esta doença não lhe deve tirar isso! Como o André existem centenas e milhares de outros animais à espera da sua oportunidade, mas que passam ao esquecimento depois dos adoptantes saberem desta condição (ou de outra, porque infelizmente existem outras doenças). Por isso, e porque quero que todos os "Andrés" deste mundo sejam adoptados por quem os ame e queira cuidar para sempre, fiz este post, para que todos os cães que tenham leishmaniose (ou outra doença) sejam uma opção na hora de adoptar com responsabilidade.

(Os dois bonitões cá de casa!)

Uma das coisas que mais me custa quando visito o abrigo da Missão Patas Felizes é saber que a grande maioria daqueles animais nunca será adoptada, que irão falecer sem conhecer as alegrias de uma família que os ama, que os cuida e que lhes dá um lar, e isso parte-me o coração!

PS: Sim, eu sou uma "mariquinhas". E sim, teria mais cães se tivesse uma casa maior!


XOXO

Pode gostar também de...

4 comentários

  1. Que gesto bonito, de facto há pessoas que nunca adoptariam um cão com uma doença, nem mesmo um cão que fosse completamente saudável. Não percebo como é que existindo tantos animais para adoptar em canis e abrigos ainda há pessoas que pagam para ter um cão de raça. Já cheguei a ter 13 cães em casa (sim, sou um pouco louca por cães) e neste momento se tivesse mais espaço adoptaria mais. Dá-me pena ver estes animais a sofrer tanto com o abandono.

    ResponderEliminar
  2. Fiquei sensibilizada com o teu post, tenho andado meio afastada e não sabia que tinhas adoptado esse txutxuco, mas a tua acção é de louvar e ele é lindão mesmo :) A minha gatinha também tem uma condição crónica, era gatita de rua, e eu sabia disso antes de a adoptar e também ouvi críticas por ter ido adoptar um animal "doente", mas a minha gatinha tem direito à vida e a ser amada da mesma forma que os outros e hoje é uma gatinha completamente normal, muito brincalhona e verdadeiramente linda :)
    Também me custa imenso saber que há tantos cães e gatos à espera de serem adoptados e que as pessoas só pensem em comprar cães de raça :(

    ResponderEliminar
  3. Ui o clássico, porquê que não têm um filho em vez dum cão, já ouvi tantas vezes... Parabéns pelo gesto, merece todo o amor possível <3

    ResponderEliminar
  4. Adorei o teu blog!
    Se puderes visita o meu e se gostares segue :)
    Beijinhos

    http://queenssecret-anaaraujo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Olá Meninas e Meninos,
Todos os comentários são importantes para mim. Obrigada pelo vosso tempo.
XOXO

Posts recentes