AMIGOS IMAGINÁRIOS

segunda-feira, agosto 11, 2014

Eu queria que me conhecesses
E que me merecesses
E que na palma da tua mão me reconhecesses,
Queria que os interesses
Fossem os mesmos
E que como estes,
Os anos fossem eternos.
Eu queria entender o silêncio
E quando penso,
Queria apagar o incêndio que avança na tua vida,
Queria curar a ferida,
Só com saliva
E conseguir sair sem cinzas na despedida.
Eu queria reencontros,
Mesmo nos invernos,
Braços abertos,
Prontos,
Longos e fraternos.
Queria que pudesses
Entender os meus versos
Como sempre fizeste,
Que tentasses pelo menos.
Queria que pudesses
Esquecer os meus erros,
Como sempre quiseste,
Que guardasses os segredos.
Queria que viesses
Sem stresses,
Sem merdas,
Queria que soubesses que também sinto as tuas perdas.
Quero dizer a coisa certa
Pra salvar a conversa da tua língua esperta,
Dessa ironia,
Dominar a frieza,
E abrir sobre a mesa,
Toda a subtileza
Presa em telepatia.
Faço questão de ser perfeita para ganhar a discussão
E não há senão que não rejeite a minha ambição!
Faço o que posso
Para que o fosso
Não se abra
E que o desgosto e essa mágoa
Não nos cubra pelo pescoço dessa água suja.
A casa arde,
Alguém que fuja
E que carregue sem ajuda
A nossa estátua durante a fuga!
Eu queria tradução
Pra todas as nossas frases,
A boca no coração,
Pra fazermos as pazes,
E nas fases mais graves,
Capazes de sermos grandes,
Vamos deixar pra mais tarde
o que é menos importante.
Voltar a ser como dantes,
Adolescentes,
Dependentes uns dos outros para viver intensamente,
Partilhar o pensamento
E plantar outra semente,
Que a discórdia
Não é sósia
E não quero que represente a nossa história
E o presente,
Desta vez vai ser diferente,
O que a gente sente entende-se,
O gesto é condizente!
Num olhar de cumplicidade,
Meia palavra e completas as minhas frases,
És tu que sabes,
O que dizer quando choro pelos rapazes
E vens sem arrogância corrigir as minhas gafes,
É amizade,
Em meia hora desmanchas os meus disfarces,
E é a ti a quem confio as minhas chaves
De olhos fechados.

Nem que a mágoa seja enorme,
O meu amigo imaginário terá sempre o mesmo nome,
Antes de eu ter irmãos ele já tinha o mesmo nome,
Nem que tudo se transforme ele terá o teu nome.
Nem que a mágoa seja enorme,
O meu amigo imaginário terá sempre o mesmo nome,
Antes de eu ter irmãos ele já tinha o mesmo nome,
Nem que tudo se transforme...
... ele terá o teu nome,
O teu nome...
O teu nome...



Amigos Imaginários - Capicua

Pode gostar também de...

2 comentários

  1. estive num concerto dela há pouco, mas não me lembro se cantou isso... gostei bastante dos desenhos no fundo dela =)

    xoxo

    ResponderEliminar
  2. Tive um amigo imaginário! :) é bom as crianças terem.

    ResponderEliminar

Olá Meninas e Meninos,
Todos os comentários são importantes para mim. Obrigada pelo vosso tempo.
XOXO

Posts recentes